_______________________________________________________________________________________________________________

 

Trabalho realizado pela turma 6º 3, Ano Lectivo 2002/2003 , na disciplina de Ciências da Natureza, orientado pela Profª. Sónia Correia

Segundo os alunos houve tentativas de gravar o som característico dos cagarros que saíram frustadas.

Contudo ficou a promessa e esperança de conseguir esse som ...  quem sabe, um dia!

______________________________________________________________________________________________________________

 

O    C A G A R R O

 

 

Ave marinha mais característica dos Açores

 

 

Características

 

            O cagarro ou a cagarra também conhecida como pardela-de-bico-amarelo.

            Tem plumagem escura por cima e clara por baixo, asas e dorso castanhos por cima, cabeça cinzento-acastanhada e cauda preta por cima, bico forte com marcas a amarelo, pernas e patas rosadas.

            O cagarro é uma ave marinha aparentada com o albatroz.

Têm uma vida longa, podendo atingir os quarenta anos de idade. Os seus cantos nocturnos são muito peculiares, alguns parecidos com o choro humano.

Os Açores são mundialmente a zona mais importantes para o cagarro, que está protegido por leis nacionais e internacionais.

O grande declínio que as suas populações mundiais registaram nas últimas décadas levam a considerar esta espécie como vulnerável por isso é proibido capturar, deter ou abater ilegalmente estas aves e destruir ou danificar os seus habitats.

 

 

Acasalamento

 

O cagarro é a ave marinha mais abundante dos Açores, totalizando 97500 casais reprodutores, juntam-se em colónias situadas nas falésias costeiras e ilhéus, que chegam a reunir centenas de aves.

É uma ave fiel, cada casal mantém-se geralmente, para toda a vida.

 

 

Ovo e cria

 

Para além dos Açores, esta ave nidifica também nos arquipélagos da Madeira, Berlengas e Canárias.

Para fazer o ninho escolhe preferencialmente cavidades naturais e fendas nas rochas podendo também escavar o seu próprio buraco, que pode atingir alguns metros de profundidade.

A tarefa de incubar o ovo é dividido pelos dois membros do casal e dura cerca de cinquenta dias, cumprindo cada um, turnos bem definidos de dois a oito dias.

A postura ocorre de fins de Maio a início de Junho, a eclosão nos finais de Julho, nascendo uma cria cinzenta cheia de penugem.

O primeiro voo dá-se entre finais de Outubro e início de Novembro.

 

 

 

Alimentação

 

Quando um cagarro nasce e devido ao alimento rico em óleo, fornecido pelos progenitores, cresce rapidamente e a cria multiplica num mês dez vezes o seu peso inicial.

O cagarro adulto alimenta-se de peixes e lulas e são frequentemente vistos em associação com golfinhos e atuns que movem perseguições a cardumes de peixes, sendo por isso utilizados pelos pescadores, para a localização de cardumes de atum.

 

 

Locomoção

 

Os cagarros são aves marinhas adaptadas para a vida em alto mar. Deslocam-

-se em voo planado durante grandes distâncias sem esforço. Em Março, depois de passarem alguns meses nos mares do Sul regressam aos Açores para iniciar  um período reprodutor de oito meses, geralmente no mesmo local do ano anterior.

            Estas aves orientam-se aparentemente pelas estrelas, mas ao iniciarem o seu primeiro voo, principalmente em noites nubladas, são atraídos e encadeados pelas luzes das povoações, podendo ser mortos ou capturados. Outros, mais felizardos, possivelmente partirão para o Atlântico Sul onde efectuam grandes migrações nomeadamente , para a costa do Uruguai e do Brasil.

            O seu voo é caracterizado pelos poucos movimentos de asas e pela agilidade com que rasa as ondas. Em contrapartida, quando aterram e têm de se deslocar em terra são muito desajeitados.

 

 

 

            Procedimentos para salvar um cagarro

 

            Em Outubro ou Novembro os jovens cagarros iniciam a sua migração para a zona tropical.

            São frequentemente encadeados pelos faróis dos automóveis, assim, muitos cagarros acabam por ser atropelados.

            Não é difícil evitar que isso aconteça. Se encontrarem um cagarro ferido ou desorientado façam o seguinte:

 

            Arranjem uma caixa de papelão, ou por exemplo uma caixa de sapatos e não se esqueçam de lhe fazer alguns furos.

 

            Depois:

-         com uma camisola, casaco ou manta cubram o cagarro;

-         Apanhem o cagarro;

-         Coloquem o cagarro na caixa de papelão;

-         Levem o cagarro para casa e deixem-no dentro da caixa num local sem barulhos que o possam incomodar;

-         Não alimentem o cagarro para que ele não se habitue;

-          Na manhã seguinte, dirijam-se a um local perto do mar;

-         Soltem o cagarro, deixem-no pousado no chão e afastem-se do local;

-         Ao fim de pouco tempo, o cagarro começará a voar e encontrará o seu caminho.

 

 

 

Resta-lhe desejar Boa Viagem !!!